Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Imagem na Nasa TV mostra o cosmonauta Russo Mikhail Kornienko na Estação Espacial Internacional, no dia 10 de agosto de 2015

(afp_tickers)

Dois cosmonautas russos realizaram nesta segunda-feira uma caminhada espacial em volta da Estação Espacial Internacional (ISS, na sigla em inglês), que durou pouco mais de cinco horas e meia, durante a qual fizeram trabalhos de manutenção e revisão das instalações.

A caminhada espacial, que terminou por volta das 16h51 de Brasília (19h51 GMT), durou exatamente 5 horas e 31 minutos. Tinha sido iniciada pouco depois das 14h00 GMT (11h00 de Brasília) e terminou uma hora antes do previsto pela Nasa (agência espacial americana).

Os cosmonautas Gennady Padalka - comandante da 44ª missão da ISS -, e Mikhail Kornienko - engenheiro de voo -, vestindo seus uniformes com a insígnia russa, saíram da estação presos por correias para limpar as janelas, além de executar outras tarefas de manutenção da cápsula.

Os trabalhos começaram às 17h17 de Moscou (14h17 GMT ou 11h17 de Brasília), informou a agência espacial russa, Roskosmos, em um comunicado.

Padalka, de 57 anos, quebrou em junho o recorde da pessoa que passou mais tempo no espaço, com 803 dias. Esta é sua nona caminhada espacial, enquanto seu colega, de 55 anos, fez sua segunda saída.

Os cosmonautas, equipados com câmeras de vídeo, flutuaram no espaço tendo a Terra como pano de fundo.

Durante a operação, permaneceram em constante comunicação com o centro de controle da missão, situado em Korolev, nos arredores de Moscou, que divulgou parte da filmagem na página na internet da agência espacial.

Também estava previsto mudar a antena e fotografar a parte russa da estação.

A Nasa informou que esta é a 188ª caminhada realizada fora da Estação Internacional.

A próxima caminhada ao redor do setor russo da estação está programada para janeiro ou fevereiro de 2016, disse à agência TASS Alexander Kaleri, funcionário da indústria espacial.

AFP