Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Policiais em ação durante ataque em Cancún, no México

(afp_tickers)

A Riviera Maya foi abalada na terça-feira por um ataque a tiros contra a procuradoria que deixou um policial e três criminosos mortos, um dia após cinco pessoas morrerem em um tiroteio em um bar na vizinha Playa del Carmen.

Um policial estatal e três criminosos morreram em um tiroteio registrado na terça-feira contra o edifício da procuradoria de Quintana Roo, localizado no balneário de Cancún, que foi repelido por efetivos do centro de operações da polícia contíguo, informou em uma mensagem o governador desta demarcação, Carlos Joaquín González.

Outros cinco pistoleiros foram detidos, acrescentou o governador. Durante horas a informação sobre o ataque lançado às 21h00 GMT (18h00 de Brasília) foi escassa, e em um primeiro relatório o secretário de Segurança Pública de Quintana Roo, Rodolfo del Ángel, informou que duas pessoas que trabalhavam na procuradoria e um criminoso morreram na agressão.

"A única coisa que (os tiroteios) revelam é que vamos no caminho certo e não vamos baixar a guarda", acrescentou o governador, que pediu ao governo federal o envio de mais forças de segurança.

O tiroteio provocou pânico na cidade costeira do Caribe mexicano, um dia após três estrangeiros e dois mexicanos morrerem em um tiroteio no bar "Blue Parrot" de Playa del Carmen, onde era realizado o encerramento de um festival de música eletrônica.

Os tiroteios romperam a paz em uma região que é popular entre turistas americanos e europeus e que havia contido a violência gerada pelo narcotráfico em outros pontos do país.

"Foi ativado o código vermelho", que consiste em um protocolo de segurança no qual participam as forças militares, as polícias federal e estatal, assim como o serviço de inteligência mexicano, afirmou Del Ángel.

O edifício da procuradoria se encontra a 7 km da zona hoteleira de Cancún, um dos principais destinos turísticos do México.

Meios de comunicação locais informaram que nos acessos à zona hoteleira, integrada por várias redes de hotéis de luxo, foram instalados três postos de controle.

A embaixada dos Estados Unidos pediu aos seus cidadãos que sigam as instruções das autoridades "antes de sair" de seus hotéis.

"Solicitamos calma à população", disse no Twitter Remberto Estrada, prefeito do município de Benito Juárez, ao qual Cancún pertence.

Em fotografias captadas pela AFP é possível observar militares e policiais protegendo a procuradoria de Quintana Roo, e em vídeos divulgados pela rede Televisa são ouvidos tiros.

O procurador do estado de Quintana Roo, Miguel Ángel Pech, que investiga o tiroteio de Playa del Carmen, não estava na procuradoria no momento do ataque, disse à AFP Adriana Mezquita, diretora de Comunicação Social do município de Benito Juárez.

AFP