Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Cartaz de luta contra o ebola na Guiné

(afp_tickers)

A Costa do Marfim anunciou nesta segunda-feira a suspensão de todos os voos de sua companhia nacional para e a partir dos países afetados pelo vírus ebola.

Além disso, o governo proibiu que as companhias transportem passageiros dos países envolvidos para o território da Costa do Marfim.

Em um comunicado, o governo anunciou a suspensão dos voos da companhia Air Côte d’Ivoire para e a partir dos países afetados pela febre hemorrágica.

A Costa do Marfim, vizinha da Libéria e de Guiné, onde a epidemia de ebola provocou centenas de mortes, apresenta um nível de alerta elevado, segundo as autoridades do setor de saúde.

O país adotou um pacote de medidas para evitar a entrada do ebola em seu território, sobretudo de vigilância comunitária.

Também decidiu reforçar a segurança no aeroporto de Abidjan, onde todos os passageiros serão examinados após o desembarque.

Até o momento nenhum caso suspeito de ebola foi registrado na Costa do Marfim.

O governo de Ruanda anunciou no domingo que colocou em quarentena um estudante alemão, internado em Kigali, que apresenta os sintomas do vírus ebola.

O paciente foi submetido a exames e os resultados devem ser conhecidos em 48 horas.

Além de Libéria e Guiné, Serra Leoa Nigéria também são afetados pela epidemia que já provocou 960 mortes em 1.800 casos confirmados, prováveis ou suspeitos desde o início do ano.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) decretou na sexta-feira uma emergência de saúde pública mundial pelo ebola.

AFP