Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) O crescimento econômico na Grã-Bretanha acelerou no terceiro trimestre, a 0,4%, uma boa notícia para o governo, semanas antes da apresentação do orçamento

(afp_tickers)

O crescimento econômico na Grã-Bretanha acelerou no terceiro trimestre, a 0,4%, uma boa notícia para o governo, semanas antes da apresentação do orçamento. Espera-se, contudo, uma desaceleração da atividade no acumulado de 2017, em meio às negociações do Brexit.

As cifras apresentadas nesta quarta-feira (25) pelo Escritório Nacional de Estatísticas (ONS), uma primeira estimativa, surpreendeu os economistas, que estimavam uma expansão de 0,3% do Produto Interno Bruto (PIB).

Mas dão conta, contudo, de uma desaceleração da atividade econômica, desde que o ano começou, em relação a 2016, quando o crescimento alcançou 1,8%, a ponto de a Grã Bretanha ter o pior desempenho entre as economias do G7 no primeiro trimestre.

O setor de serviços (financeiro, comercial) beneficiou a expansão, registrando alta de 0,4%.

A produção industrial se expandiu 1%, enquanto a construção retraiu 0,7%.

O governo comemorou os dados de crescimento, um mês antes de apresentar o orçamento para o exercício 2018-2019, que tem dificuldade de equilibrar, graças à incerteza econômica e política atual.

"Apesar da melhoria (...) o crescimento foi relativamente fraco neste ano", advertiu Ben Brettell, economista da Hargeaves Lansdown.

"A incerteza vinculada ao Brexit é o culpado ideal, e isso desestimula os investidores das empresas. De toda forma, o problema de fundo é conhecido: é a produtividade", destacou.

Apesar da cifra trimestral, o crescimento claramente se desacelera desde o começo do ano, em relação a 2016, pela queda do consumo e dos investimentos moderados.

A inflação, alimentada pela desvalorização da libra, pesa no poder aquisitivo dos consumidores, enquanto as difíceis negociações sobre o Brexit e a incerteza sobre as futuras relações com a UE limitam as iniciativas do setor empresarial.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP