AFP

As filmagens da nova temporada demoraram oito meses, em 17 cidades diferentes, explicou à AFP Tina Desai, que interpreta na série a indiana Kala Dandekar

(afp_tickers)

Lutas espetaculares, mundos paralelos, um toque de metafísica: os criadores de "Matrix" recuperam alguns elementos de sua famosa trilogia para a série "Sense8", mas vão ainda mais longe, com uma sobreposição de mundos em uma série difícil de classificar.

O conceito da série é ambicioso, com um relato que acompanha de modo paralelo oito personagens que vivem em pontos diferentes do mundo, em quatro continentes.

A imprensa americana afirma que a produção de cada um dos 10 episódios da segunda temporada, disponível desde sexta-feira no Netflix, custou nove milhões de dólares, um valor não confirmado pela plataforma de vídeo.

As filmagens da nova temporada demoraram oito meses, em 17 cidades diferentes, explicou à AFP Tina Desai, que interpreta na série a indiana Kala Dandekar.

Esta pode ser a primeira série realmente mundial, de acordo com o modelo da Netflix, presente em mais de 190 países.

"Isto torna tudo mais complexo, mais difícil, mas uma vez que você se acostuma ao estilo narrativo é divertido", comentou Max Riemelt, que interpreta o alemão Wolfgang Bogdanow.

"As pessoas adoram este tipo de série. Não querem mais ver algo pré-fabricado, fácil de consumir", completa.

A segunda temporada foi comandada por Lana Wachowski, antes Larry Wachowski e que fez o anúncio da mudança de gênero no início da década. Ela dirigiu sozinha quase toda a segunda temporada, sem a sua irmã Lilly, corroteirista e anteriormente Andy Wachowski, que mudou de nome e gênero em 2016.

A dupla foi responsável pela direção e roteiros da trilogia "Matrix".

- "Aceitando diferenças" -

Os oito personagens principais da série são "sensates", essencialmente humanos, mas dotados de uma capacidade de percepção sobrenatural, que os conecta permanentemente entre si.

Todos são perseguidos por um tal Sr. Whispers, também com capacidades psíquicas acima do normal, que trabalha para a misteriosa Biologic Preservation Organization (BPO).

Depois da primeira temporada, na qual cada um dos oito toma consciência de sua condição, o que ignoravam até então, os oito "sensates" contra-atacam, unindo forças graças a seu dom.

"Sense8" fica mais complexa, com uma intensidade dramática maior que a da primeira temporada, lançada em 2015.

O resultado é uma série inclassificável, com saltos de ritmo brutais. Alterna passagens muito melodramáticas, que em alguns momentos lembram as telenovelas, com sequências lineares e lutas muito similares ao mundo de "Matrix", que revolucionaram o cinema neste aspecto.

"Não sei com o que compará-la", afirma Terrence Mann, que interpreta o Sr. Whispers e chama a série de "brilhante".

"É muito pessoal", afirma Naveen Andrews, Jonas Maliki em "Sense8".

As irmãs Wachowski "colocaram tanto de si mesmas. Isto é diferente do que haviam feito antes".

Assim como em "Matrix", as Wachowski evocam a relação dominante-dominado, da minoria e da maioria, assim como as diferenças, um tema que voltou a ganhar destaque com a eleição de Donald Trump nos Estados Unidos e o avanço do nacionalismo em muitos países.

Para Tina Desai, a série "diz às pessoas que é preciso ficar calmo e não ter tanto medo do outro, aceitar as diferenças, para ir além e nos entendermos".

AFP

 AFP