Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) O aumento do desemprego e os cortes na saúde, consequência da crise financeira de 2008, teriam contribuído para um aumento da mortalidade por câncer de mais de 500.000 pessoas no mundo - de acordo com estudo publicado nesta quinta-feira (horário local)

(afp_tickers)

O aumento do desemprego e os cortes na saúde, consequência da crise financeira de 2008, teriam contribuído para um aumento da mortalidade por câncer de mais de 500.000 pessoas no mundo - de acordo com estudo publicado nesta quinta-feira (horário local).

"Associamos a recente crise econômica a 260.000 mortes adicionais por câncer nos países da OCDE (Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômicos) entre 2008 e 2010, sendo 160.000 delas na União Europeia", segundo conclusões desse estudo publicado na revista britânica The Lancet.

AFP