Navigation

Cuba autoriza financiamento independente de projetos culturais

Mulher caminha em Havana em 23 de janeiro de 2015 afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 01. março 2015 - 00:36
(AFP)

As autoridades cubanas, que até agora centralizavam o financiamento de projetos culturais, abriram a possibilidade de que esses recursos venham de fontes privadas e independentes, sempre através de uma instituição ou organismo nacional.

Segundo o Conselho de Ministros, citado pelo jornal oficial Granma, além das fontes vigentes até agora, serão admitidos financiamentos de entidades cubanas e estrangeiras radicadas em Cuba, assim como os de pessoas físicas cubanas e estrangeiras, associações sem fins lucrativos e formas de gestão não estatais (privadas e cooperativas).

"O objetivo é aperfeiçoar os mecanismos e as fontes que garantem a entrega de financiamento a projetos culturais de escritores e artistas, por instituições e organizações de cultura, sem intermediários", disse o ministro da Economia, Marino Murillo, que conduz as reformas econômicas na ilha.

O ministro ressaltou que os recursos provenientes de fontes independentes e privadas, chegarão "sempre através dos institutos e conselhos do Mincult, o ICRT, a UNEAC e a AHS".

"Ao desaparecerem as limitações para a entrega de fundos, mais projetos poderão ser financiados", disse Murillo.

"Para decidir qual projeto será beneficiado será levado em conta a qualidade da obra, o interesse dos institutos e das organizações culturais, além da trajetória dos criadores", explicou o Granma.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.