Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

As bandeiras de Estados Unidos e Cuba são vistas em Miami, no dia 20 de dezembro de 2014

(afp_tickers)

A primeira reunião de reitores de universidades públicas de Cuba e dos Estados Unidos foi realizada nesta quinta-feira em Havana para traçar as bases para uma futura cooperação, em conformidade com a aproximação histórica entre os dois países, relatou a televisão local.

O encontro acadêmico foi realizado um dia antes da reunião em Havana da comissão bilateral Cuba-Estados Unidos para definir as questões que ambos os países devem abordar após a restauração das relações diplomáticas em julho, depois de meio século de divergências.

"Há muitos modelos nos quais acredito que podemos colaborar, por exemplo, saúde pública, medicina, formação de professores", declarou Muriel Howard, diretora da Associação de Reitores de Universidades e Escolas Estaduais dos Estados Unidos (AASCU, por sua sigla em inglês).

Howard observou que a Associação quer "avançar" na cooperação com os centros de ensino superior da ilha "nas áreas de ciência, engenharia, matemática", mas "também nas áreas de ciências sociais, história ou filosofia".

"Cuba tem feito progressos em algumas destas áreas e tem realmente muito méritos", acrescentou Howard, que liderou o grupo de 21 autoridades acadêmicas dos Estados Unidos que viajaram para a ilha para a reunião.

Por sua parte, a vice-ministra de Educação Superior de Cuba, Aurora Fernandez, salientou que "o objetivo hoje é nos conhecer, identificar os nossos pontos fortes, nossos interesses, e a partir daí continuar o intercâmbio" para avançar numa "cooperação de longo prazo".

A televisão destacou que a reunião foi precedida por uma visita à ilha em 2003 de uma delegação da AASCU, durante a qual acadêmicos dos dois países definiram "40 projetos de cooperação" bilateral, dos quais puderam implementar "apenas três", sem especificar quais.

O ministro da Educação Superior, Rodolfo Alarcón, anunciou na terça-feira que a proficiência em inglês será um requisito para a graduação das universidades da ilha.

Após meio século de inimizades, Cuba e Estados Unidos restauraram suas relações diplomáticas em 20 de julho.

AFP