Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O governador de Nova York Andrew Cuomo (E) e o vice-presidente cubano Miguel Diaz-Canel (D) durante reunião em Havana, no dia 21 de abril de 2015

(afp_tickers)

Cuba e Nova York afirmaram dois acordos na área de saúde para o intercâmbio de uma vacina cubana terapêutica contra o câncer e um software americano para a indústria médica cubana, informou nesta quarta-feira o jornal estatal Granma.

A diretora do Instituto Roswell Park contra o Câncer, de Nova York, Candace Johnson, anunciou o acordo firmado entre sua instituição e o Centro de Imunologia Molecular de Cuba, como resultado da visita do governador de Nova York, Andrew Cuomo, à ilha.

"Isso não seria possível sem essa missão comercial, que facilitou a assinatura do acordo, cara a cara", afirmou Johnson, citada pelo Granma. Ela se disse ainda "muito emocionada de poder levar a vacina a seu país".

Cuomo foi o primeiro governador de um estado norte-americano em visita a Cuba desde o histórico anúncio dos presidentes Barack Obama e Raúl Castro, de reaproximação bilateral, feito no dia 17 de dezembro do ano passado.

A vacina terapêutica contra o câncer seria o segundo medicamento da pujante indústria farmacêutica cubana a entrar nos Estados Unidos depois do Hebertprot-P, contra as úlceras por Diabetes, que há dois anos tem licença para o mercado norte-americano.

O outro acordo assinado foi anunciado por Charles Phillips, conselheiro delegado da empresa de alta tecnologia Infor para a entrega de um software dedicado à indústria médica cubana.

"A Infor fará intercâmbios com uma universidade do país para capacitar estudantes que possam se tornar líderes no manuseio dessas tecnologias", disse. "Nos surpreendeu e impressionou o nível e a experiência que há existe em Cuba na área da tecnologia da saúde", completou Phillips.

AFP