Navigation

Cuba e os três anos sem Fidel

Cubanos passam por poster de Fidel Castro em Havana afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 23. novembro 2019 - 13:22
(AFP)

Sorridente ou combativo, pensativo ou observador, o rosto de Fidel Castro continua acompanhando os cubanos diariamente, três anos após sua morte.

Sua presença iconográfica está por toda Cuba, como a AFP constatou em uma viagem ao extremo leste da ilha.

Não apenas em Havana ou Santiago de Cuba, as duas maiores cidades, Fidel (1926-2016) faz parte da paisagem em pequenas cidades como San Luis (leste) ou Jatibonico (centro).

Mesmo em Guantánamo, no extremo leste, muito perto da base naval dos EUA, a única "fronteira" da ilha com seu inimigo há décadas.

É mais do que cenografia. Fidel ainda é o homem que desperta paixões extremas.

Três anos após sua morte, em 25 de novembro de 2016, ele é o benfeitor de tudo de bom que acontece em Cuba, ou o culpado de uma herança sinistra e inesgotável, de acordo com quem se lembra dele.

"Somos continuidade", costuma dizer o presidente Miguel Díaz-Canel, que cita Fidel com frequência, mas descentraliza e delega funções do governo que "o comandante" acumulou em forte liderança pessoal.

Também convoca a "unidade", principal legado de Fidel diante das adversidades e da política dos EUA.

O terceiro aniversário de sua morte tem como pano de fundo o fortalecimento do bloqueio que Washington mantém desde 1962, acusando o governo cubano de oprimir seus cidadãos e de apoiar militarmente Nicolás Maduro na Venezuela.

O governo de Diaz-Canel rejeita essas acusações e as confronta com a mesma proposta de Fidel nos dias mais difíceis da crise econômica (período especial) da década de 1990: "Resistir".

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.