Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Carros de origem soviética passam em frente ao restaurante soviético retrô Nazdarovie em Havana, no dia 16 de outubro de 2017

(afp_tickers)

Cuba e a União Europeia (UE) comemoraram a entrada em vigor, nesta quarta-feira (1), do Acordo de Diálogo Político e Cooperação, alcançado em 2016.

"O acordo deve contribuir para a consolidação de relações estáveis, respeitosas, mutuamente benéficas e de longo prazo", disse uma nota da chancelaria cubana publicada nesta terça (31) em seu site oficial.

Com o pacto, "as relações entre União Europeia e Cuba se desenvolverão, pela primeira vez, sob uma estrutura contratual que reafirma as bases de respeito, da observação ao direito internacional e dos princípios consagrados na Carta das Nações Unidas", destacou.

Cuba era o único país da América Latina que não contava com um acordo deste tipo com a UE.

O acordo foi assinado em 12 de dezembro de 2016, entre a Alta Representante para Assuntos Exteriores e Política de Segurança e vice-presidente da Comissão Europeia, Federica Mogherini, e o ministro de Relações Exteriores de Cuba, Bruno Rodríguez.

"UE e Cuba estão realmente virando a página, e o novo capítulo de nossa cooperação começa agora, com a aplicação provisória de nosso novo acordo", disse Mogherini, em uma nota da UE.

Ela acrescentou que "hoje a União Europeia se aproxima de Cuba e de todos os cidadãos cubanos, quando o país experimenta uma modernização econômica, política e social".

O acordo prevê "atividades com todos os interlocutores de Cuba, inclusive o setor público, as autoridades locais, a totalidade da sociedade civil, o setor privado e as organizações internacionais e suas agências", disse o comunicado da UE.

O documento entra em vigor com caráter provisório até que se "conclua o processo de ratificação por todas as partes" e ele se torne pleno, destaca a nota de Cuba, sem apontar uma data.

"Assim, os laços entre Bruxelas e Havana alcançam uma melhor correspondência com o nível dos vínculos de Cuba com os Estados que integram o bloco comunitário, os quais experimentaram avanços significativos nos últimos anos", acrescentou o comunicado cubano.

Ele destacou que a entrada em vigor do acordo na quarta-feira coincide com a votação na Assembleia geral das Nações Unidas da resolução que condena o embargo dos Estados Unidos à ilha, vigente desde 1962.

"Cuba reconhece o tradicional respaldo da União Europeia à Resolução que pede o fim desta política, que continua sendo o principal obstáculo para o desenvolvimento pleno das relações comerciais, econômicas e financeiras entre Cuba e o bloco comunitário", concluiu.

Washington já adiantou, nesta terça, que vai votar contra a resolução.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP