Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Che Guevara a bordo de uma barca que atravessa o lago Tanganika, entre o Congo e a Tanzânia, em 21 de novembro de 1965

(afp_tickers)

Objetos pertencentes ao revolucionário argentino-cubano Ernesto Che Guevara estão sendo exibidos pela primeira vez em uma exposição inaugurada neste domingo por ocasião de seu aniversário de 87 anos se estivesse vivo.

A exposição "Como jamais tão vivo" faz parte dos eventos dedicado à data, segundo Maira Romero, diretora do Memorial Comandante Ernesto Che Guevara, e contou em sua inauguração com a presença de Celia e Ernesto Guevara March, dois dos quatro filhos de Che com a cubana Aleida March.

Os objetos, em sua maioria presentes de pessoas de vários países, estão uma flor vermelha, enviada por María del Carmen Ferreyra (Chichina Ferreyra), a primeira namorada do guerrilheiro.

Nascido em Rosário em 1928, Guevara participou junto a Fidel na luta na Serra Maestra, leste da ilha, e depois do triunfo da revolução, em 1959, ocupou vários cargos de governo.

Foi morto em 9 de outubre de 1967 na Bolívia, um dia depois de ser capturado pelo exército local.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.










AFP