Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Fevereiro) Membros das Farc

(afp_tickers)

Cuba concedeu ao governo colombiano e à guerrilha das Farc mil bolsas de estudos para o curso de Medicina, como contribuição à implementação do acordo que visa a superar meio século de conflito armado, informou o embaixador da ilha em Bogotá, José Luis Ponce.

Cuba foi sede dos diálogos entre o governo de Juan Manuel Santos e as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) desde 2012, a principal e mais antiga guerrilha do país, e que em novembro firmou um acordo histórico de paz no país.

No documento, assinado no dia 14 de março, porém divulgado nesta quinta-feira (16), Ponce oferece pelos próximos 5 anos 500 bolsas de estudo para o governo e outras 500 para a guerrilha, cujas aulas terão início em setembro.

Os cerca de 6.900 combatentes das Farc, que iniciaram seu combate armado contra o Estado em 1964, agrupam-se em 26 zonas do país, onde deverão finalizar o processo de entrega de armas e reestabelecimento de sua vida civil.

A guerra interna na Colômbia já deixou 260.000 mortos, 60.000 desaparecidos e 6,9 milhões de deslocados após meio século de combates entre guerrilhas, paramilitares e agentes do Estado.

No país, o Exército de Libertação Nacional (ELN) continua ativo, mas já começa a negociar a paz com o governo.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP