Navigation

Cuba pede repúdio de diplomatas na ilha a 'intervenção' dos EUA na Venezuela

(Arquivo) Foto mostra o ministro das Relações Exteriores de Cuba, Bruno Rodríguez, durante coletiva de imprensa em Washington, nos Estados Unidos, em 2 de novembro de 2017 afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 19. fevereiro 2019 - 12:48
(AFP)

O ministro cubano das Relações Exteriores, Bruno Rodríguez, convocou nesta segunda-feira (19) os embaixadores acreditados na ilha para pedir que rejeitem uma intervenção militar dos Estados Unidos na Venezuela.

"Em encontro no Ministério das Relações Exteriores com 108 embaixadores e chefes de missões diplomáticas, fiz um apelo em nome do governo de Cuba para agir em defesa da paz e evitar com o esforço conjunto da comunidade internacional uma agressão militar dos Estados Unidos contra a Venezuela", escreveu o chanceler no Twitter.

"Bruno Rodríguez nos comentou da enorme preocupação que Cuba tem de uma intervenção militar dos Estados Unidos na Venezuela", disse à AFP um diplomata que participou do encontro.

Na semana passada, Cuba informou sobre a presença de unidades militares americanas no Caribe, que preparavam uma "agressão" contra a Venezuela, "disfarçada de intervenção humanitária".

Havana, aliada mais próxima de Caracas, multiplica as declarações de solidariedade ao governo de Nicolás Maduro, desafiado pelo opositor Juan Guaidó, que foi reconhecido como presidente interino da Venezuela por cerca de 50 países, com os Estados Unidos à frente.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.