Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

El departamento de Comercio de Estados Unidos propuso elevados gravámenes a los aviones CSeries fabricados por Bombardier

(afp_tickers)

A americana Delta Airlines disse, nesta quarta-feira (11), que não vai pagar a mais pelos aviões da Bombardier envolvidos em uma disputa comercial entre Estados Unidos e Canadá, mas admitiu que o litígio pode atrasar a entrega das aeronaves.

"Não pagaremos essas tarifas", disse o diretor executivo da Delta, Ed Bastian, que censurou as sanções comerciais impostas preliminarmente pelos Estados Unidos à canadense Bombardier.

"Poderia haver uma demora", disse Bastian, mas garantiu que a empresa "vai levar os aparatos".

Seus comentários foram feitos horas antes de o presidente dos Estados Unidos Donald Trump se reunir com o primeiro-ministro Justin Trudeau para discutir a questão aeronáutica.

Ottawa reagiu às sanções dos EUA e suspendeu uma ordem de compra de aviões da gigante Boeing.

O Departamento de Comércio dos Estados Unidos propôs tarifas altas pelos aviões CSeries fabricados pela Bombardier, após a Boeing denunciar que foram vendidos à Delta por preços menores que o custo, devido a subsídios governamentais, por 3 bilhões de dólares.

A decisão final é esperada para 19 de dezembro.

Bastian considerou "irrealistas e sem sentido" os argumentos da Boeing e acrescentou que "há várias opções" sendo examinadas, caso os Estados Unidos continuem com as sanções comerciais.

A Delta planeja receber a partir de abril de 2018 o primeiro dos seus 75 CSeries.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP