Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O presidente americano, Donald Trump, no Salão Oval da Casa Branca, em Washington DC, em 27 de junho de 2017

(afp_tickers)

Três jornalistas da CNN foram demitidos após a retirada de um artigo que afirmava que o Congresso americano investigava os vínculos de membros da equipe de Donald Trump com um fundo de investimento russo, decisão saudada pelo presidente.

Os demitidos foram o autor do artigo, Thomas Frank, o membro da equipe de edição Eric Lichtblau e o responsável do grupo investigador, do qual faziam parte os dois primeiros, Lex Haris.

O artigo foi colocado no site da CNN na quinta-feira e retirado no dia seguinte. Não voltou a ser reeditado ou mencionado da emissora americana.

Já muito crítico com a CNN, Trump reagiu rapidamente ao anúncio: "o falso meio [de comunicação] CNN contempla grandes mudanças em sua direção agora que foram pegos por seus artigos trapaceiros sobre a Rússia", tuitou.

"Pegaram de surpresa o falso meio CNN", acrescentou, "mas o que acontecerá com NBC, CBS e ABC? O que acontecerá com os fracassados New York Times e The Washington Post? São todos meios falsos", assegurou.

Segundo o jornalista da CNN especialista em meios de comunicação Brian Stelter, responsáveis explicaram durante uma reunião na segunda-feira que a demissão não significava necessariamente que as informações publicadas eram falsas, mas que "o artigo não estava suficientemente fundamentado para ser publicado".

Os três jornalistas têm uma longa trajetória e excelente reputação. Quando estava no The New York Times, Eric Lichtblau recebeu o Prêmio Pulitzer, em 2006.

AFP