Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O deputado Gilles Bourdouleix

(afp_tickers)

A justiça francesa confirmou nesta terça-feira a condenação a uma multa de 3.000 euros por "apologia ao crime contra a humanidade" de um deputado que havia declarado em uma briga com ciganos que, "talvez, Hitler não tenha matado o suficiente".

A justiça decidiu, desta forma, aumentar a pena contra Gilles Bourdouleix, deputado de Cholet (oeste), condenado inicialmente a esta multa apenas se fosse reincidente.

"Constato que o tribunal teve clemência, já que foi pronunciada apenas uma multa, embora meu cliente não tenha sido declarado inocente. Há um longo caminho judicial pela frente e vamos apelar", afirmou seu advogado, Pierre Brossard.

Os demandantes manifestaram satisfação após a decisão. "Confirma que houve um crime, do qual ninguém duvidava. A punição subiu um grau, mas ainda a consideramos muito fraca", indicou um funcionário da Liga de Direitos Humanos, Daniel Renou.

No dia 21 de julho de 2013, durante uma briga em um terreno de sua comunidade ocupado ilegalmente por mais de uma centena de ciganos, Bourdouleix, recebido com saudações nazistas, havia comentado a um jornalista: "talvez Hitler não tenha matado (ciganos) o suficiente".

Após o escândalo provocado pela publicação do comentário na imprensa no dia seguinte, o deputado foi obrigado a abandonar as fileiras de seu partido, a União de Democratas e Independentes (UDI, centro-direita).

AFP