Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Juan Requesens é ferido durante protesto

(afp_tickers)

O deputado opositor venezuelano Juan Requesens ficou ferido nesta segunda-feira, durante um protesto de legisladores diante da Defensoria do Povo, em Caracas.

Requesens sofreu um corte profundo sobre a sobrancelha esquerda e foi submetido a uma pequena cirurgia, constatou a AFP.

Primeiro Justiça, o partido de Requesens, que organizou o protesto, culpou os "coletivos", grupos armados ligados ao governo, pela agressão.

"Meu ferimento é simplesmente a pior cara de um governo que não quer a Venezuela na rua. Mas o povo sem medo, hoje, amanhã e depois de amanhã vai seguir lutando", disse Requesens, que recebeu uma paulada quando tentava evitar que outro manifestante fosse agredido.

Os deputados opositores exigem que o Defensor do Povo, Tarek William Saab, apoie a proposta de remoção dos juízes do Tribunal Supremo de Justiça (TSJ), que na semana passada assumiram as funções do Parlamento - controlado pela oposição - e suspenderam a imunidade dos legisladores.

Os parlamentares acusam os juízes do Supremo de "ruptura constitucional", como denunciou a Procuradora-Geral, Luisa Ortega, ligada ao chavismo, antes que a decisão fosse revogada parcialmente, no sábado.

Mas segundo Saab, não ocorreu "ruptura" constitucional.

"Digam-me se há uma ruptura da ordem constitucional se a própria procuradora se reuniu, no sábado, com o presidente (Nicolás Maduro). Durante longas horas (...) puderam conversar sobre democracia e legalidade", declarou Saab.

A oposição convocou uma passeata para esta terça-feira, diante do Parlamento, no centro de Caracas - onde geralmente o governo não permite protestos de seus adversários - para exigir a remoção dos juízes do Supremo.

A retirada dos juízes exige o aval do defensor, da procuradora e do controlador, todos ligados ao chavismo.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP