Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Uma mina de ouro clandestina é vista na Reserva Natural de Puinawai, Colômbia, no dia 5 de maio de 2015

(afp_tickers)

Pelo menos 15 pessoas ficaram soterradas nesta quarta-feira, no desabamento de uma mina de ouro artesanal no centro-oeste da Colômbia - informaram as autoridades, que avançam nos trabalhos de busca para socorrer os mineiros.

Embora fosse artesanal, a mina estava em processo de legalização, confirmaram funcionários do governo local para a AFP.

"Às 8h30 locais (10h30 de Brasília) uma mina desabou, aparentemente inundada após perfurações que eram feitas para a extração do mineral. Pelo menos 15 pessoas estão soterradas", disse à AFP o coronel Luis Piñeros, da Sala de Crise da Unidade Nacional para a Gestão de Risco de Desastres (UNGRD).

"Estamos em plena tarefa de busca e resgate", acrescentou.

O incidente aconteceu em uma reserva indígena, no município de Riosucio, no departamento de Caldas, em duas escavações às margens do rio Cauca.

Logo depois de saber do acidente, o presidente colombiano, Juan Manuel Santos, pediu às autoridades de resgate que "não poupem esforços".

O comandante da Polícia de Caldas, coronel Luis Duarte, confirmou à AFP que um equipe de cerca de 50 socorristas e pessoal médico está no local.

"Alguns estão a uns 17 metros de profundidade, e outros, a 10 metros", relatou Duarte.

A Agência Nacional de Mineração (ANM) monitora as tarefas de salvamento. Em nota, o órgão considerou que o resgate vai levar alguns dias, acrescentando que o colapso resultou de uma inundação.

Agora, os trabalhos se concentram em retirar o excesso de água das escavações, explicou William Lozano, responsável pela equipe da ANM presente no local do sinistro.

Ainda segundo a ANM, das mais de 30 emergências registradas em minas legais na Colômbia em 2014, "82% se apresentaram em mineração subterrânea".

AFP