Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O exemplo mais recente é o do Desafio da Água Gelada - no qual o participante joga em si próprio um balde de água fria em prol de uma organização de caridade -, do qual participam celebridades

(afp_tickers)

Imolação, ânsia de vômito, competição de bebedeira: longe dos famosos que jogam água gelada em si próprios por uma causa, há jovens que se impõem desafios via internet, numa mistura perigosa de ritos de passagem e exibicionismo.

O exemplo mais recente é o do "Desafio da Água Gelada" - no qual o participante joga em si próprio um balde d'água fria em prol de uma organização de caridade -, um desafio inocente do qual participam celebridades.

Há anos, no entanto, milhares de jovens de todo o mundo, a maioria rapazes, filmam a si próprios fazendo alarde com suas respostas a desafios cada vez mais perigosos e publicam sua "façanha" na internet.

A princípio foram desafios entre colegas de turma, como falar "Chubby Bunny" com a boca cheia da maior quantidade de doces possível, ou cravar uma faca entre os dedos.

Em seguida, a tendência consistiu em engolir produtos que provocam vômito: uma colherada de canela, um cacho de bananas com refrigerante, uma mistura de Coca-cola com leite, bicarbonato de vinagre ou filmar a si próprio sofrendo de náuseas violentas.

Estes desafios se popularizaram pelo YouTube e os vídeos mais assistidos são aqueles nos quais o desafio termina mal.

No começo de 2014, a moda foi o "neknomination", no qual os jovens se filmam bebendo intensamente, um jogo que ganhou adeptos em vários países e que causou várias mortes na Grã-Bretanha e Irlanda. Os participantes desafiavam seus amigos a imitá-los, citando-os publicamente.

Atenção a todo custo

"Nas sociedades tradicionais, os jovens eram submetidos a ritos ou provas para se tornar adultos. Quanto menos ritos de passagem as sociedades ocidentais dispõem, mais os jovens tentam inventar provas para chamar a atenção", comentou Jocelyn Lachance, antropólogo social da Universidade de Pau (sul da França) e especialista nas práticas digitais dos jovens.

"Quando se vê um grupo de jovens que se atiram em um lago, vai ver que nem todos pulam ao mesmo tempo. Sempre há uma parte que é testemunha e outra que passa ao ato", continuou. "Hoje em dia, os adolescentes podem se arriscar em seu canto, filmar e depois buscar o olhar aprovatório. Essa busca por validação sempre existiu. A diferença é que agora o olhar vem da internet".

Em um desafio que se tornou viral este ano na França e que consistia em se atirar na água, um jovem morreu afogado na Bretanha em meados de junho passado, arrastado para o fundo de um rio com sua bicicleta que o prendeu pela perna.

O próprio criador do desafio do "ice bucket challenge" (Desafio da Água Gelada), Corey Griffin, de 27 anos, morreu afogado no fim de semana passado nos Estados Unidos após se atirar na água do balcão de uma loja de sorvetes, segundo a imprensa americana, que não esclareceu se o acidente foi causado por um desafio.

Para demonstrar coragem, tem gente que se dá choques elétricos ou provoca queimaduras no corpo diante da câmera para provar que é mais resistente. No fim de julho, a imprensa americana reportou o caso de um adolescente que sofreu queimaduras de segundo grau, após molhar-se com álcool e atear fogo ao corpo.

"Os adolescentes inventam ritos que implicam deixar marcas no corpo", comentou o psicanalista Michael Stora.

"Antes, havia o 'happy slapping', em que se filmavam dando uma bofetada em alguém ou agredindo um professor. Depois, a novidade foi a auto-agressividade, somada à busca de algo novo ou da imagem chocante para alcançar um momento de glória. É uma forma de existir, às custas do próprio corpo. Há um aumento absurdo dos casos de automutilações".

AFP