Navigation

Descobertas no Egito tumbas de sacerdotes dos deuses Thot e Hórus

Foto de 30 de janeiro de 2020 mostra tumbas com sarcófagos de 3.000 anos, descobertas em Al Ghoreifa, em Minya, 300 km ao sul do Cairo afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 30. janeiro 2020 - 22:40
(AFP)

Tumbas que datam mais de 3.000 anos a.C., com sarcófagos de pedra e madeira contendo importantes sacerdotes, foram descobertas ao sul do Cairo, anunciou o ministério egípcio de Antiguidades, nesta quinta-feira (30).

Dezesseis tumbas, nas quais existiam 20 sarcófagos, alguns com hieróglifos gravados, foram exumados por uma missão arqueológica em Al Ghoreifa, na região de Minya, situada a 300 km ao sul do Cairo.

Os sarcófagos guardam os restos mortais de vários sacerdotes do deus Thot, divindade representada pelo corpo de um homem com cabeça de pássaro, assim como os restos de importantes funcionários do Alto Egito.

Um dos sarcófagos, em pedra, é dedicado ao deus Hórus, representado por um homem com cabeça de falcão, filho de Ísis e Osíris. Em sua pedra encontrou-se uma imagem da deusa Nut, considerada como a mãe dos céus, que estende sua asas sobre o sarcófago.

Os arqueólogos descobriram 10 mil figuras em cerâmica azul e verde, 700 amuletos em formato de escaravelho, alguns em ouro puro, além de um amuleto que representa uma cobra voadora.

Também foram descobertos vários recipientes nos quais as vísceras dos defuntos foram colocadas, como parte do processo de mumificação.

Nos últimos anos, as autoridades egípcias tratam de promover as descobertas arqueológicas para reanimar o turismo no país.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.