Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Produção artística mostra uma possível aparência do planeta HD219134b, que tem 1.6 vezes o tamanho da Terra, liberada pela Nasa no dia 30 de julho de 2015

(afp_tickers)

Um novo sistema de exoplanetas, perto do nosso sistema solar, com três "super terras" orbitando ao redor de uma estrela, foi descoberto por astrônomos da Universidade de Genebra - anunciou nesta quinta-feira a instituição.

Situado na constelação de Cassiopeia, o sistema de exoplanetas (do lado de fora do sistema solar, ndlr) é composto por três super terras - os exoplanetas têm uma massa de entre 1 e 10 vezes a da Terra - de um planeta gigante e sua estrela em comum, um pouco mais fria do que o nosso sol.

O novo sistema está relativamente perto de nós, a uma distância de 21 anos-luz da Terra. A título de comparação, a estrela mais próxima de nosso sol está a três anos-luz e a segundo a seis anos-luz.

"Quando as primeiras medições indicaram que um dos planetas orbitava ao redor da estrela em três dias, nós pedimos imediatamente à Nasa um tempo de observação com o telescópio espacial norte-americano Spitzer", explicou a astrônoma Ati Motalebi, co-autora do artigo.

Golpe do destino, o exoplaneta passa logo entre sua estrela e a Terra, ocasionando o fenômeno chamado de "trânsito", uma espécia de mini-eclipse. O fenômeno do trânsito é uma vereda para os pesquisadores, a quem permite estimar o raio do planeta graças à sombra projetada sobre a estrela pelo eclipse. O raio é indispensável para o cálculo da densidade e a definição da composição da atmosfera.

O resultado de todas estas medições é que o planeta tem 4,5 vezes mais massa do que a Terra, com um diâmetro 1,6 maior. Sua densidade se aproxima à da Terra e sua composição é basicamente terrestre. "É, de longe, o planeta de composição terrestre mais próximo de nós", escreveu o comunicado.

O planeta gira em torno de sua estrela em três dias. "Ele está muito próximo da estrela", explicou à AFP Stéphane Udry, astrônomo do Observatório de Genebra. "A temperatura (do planeta) é de cerca de 700 graus Kelvin (427 graus Celsius). É provavelmente um mundo de lava fundida, pouco compatível com a vida".

Os astrônomos esperam um dia poder observar os trânsitos de duas outras super terras, definir sua densidade e ver se elas são rochosas ou gasosas, ou uma combinação dos dois.

"Poder definir a composição de três super terras num mesmo sistema próximo daria uma fonte de informação fora do comum sobre a formação de sistemas planetários e a composição de seus membros, em especial das super terras", comemorou Stéphane Udry.

AFP