Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) Homem lê anúncio de emprego em São Paulo, em 31 de janeiro de 2017

(afp_tickers)

O índice de desemprego no Brasil prosseguiu caindo no terceiro trimestre de 2017, quando ficou situado em 12,4%, seis décimos a menos do que no segundo trimestre (13%), informou nesta terça-feira o IBGE.

O retrocesso foi de dois décimos em relação a agosto (12,6%), em sintonia com a expectativa média de 25 instituições consultadas pelo jornal Valor Econômico.

É a sexta queda mensal consecutiva, sempre sob o impulso principal do crescimento informal, dentro de uma tímida saída de dois anos de recessão da maior economia latino-americana.

No período julho-setembro do ano passado, o desemprego atingia 11,8% da população ativa.

O índice de desemprego alcançou seu recorde no primeiro trimestre deste ano, quando chegou a 13,7%, mas desde então marca quedas regulares.

No terceiro trimestre de 2017, havia no Brasil 13 milhões de desempregados, 524.000 a menos que no segundo trimestre, mas 939.000 desempregados a mais que no mesmo período de 2016.

O setor informal continuou sendo o motor da recuperação do mercado trabalhista.

Na comparação trimestral, o contingente de pessoas com contrato de trabalho se manteve estável, em 33,3 milhões de pessoas.

A categoria de empregados sem contrato formal no setor privado registrou, por sua vez, um aumento de 2,7%, totalizando 10,9 milhões de pessoas.

Os analistas acreditam que o mercado trabalhista deve melhorar no último trimestre graças às contratações temporárias de fim de ano.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP