Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) O bar do Palácio de Justiça de Turim (norte da Itália), que ficou fechado por um tempo, reabrirá nos próximos meses com um perfil inovador: serão os detentos ou ex-presidiários em reinserção que irão servir o café

(afp_tickers)

O bar do Palácio de Justiça de Turim (norte da Itália), que ficou fechado por um tempo, reabrirá nos próximos meses com um perfil inovador: serão os detentos ou ex-presidiários em reinserção que irão servir o café, anunciou nesta quarta-feira a comuna.

Na imensa estrutura que abrange todas as instâncias judiciais da capital do Piemonte, do Ministério Público ao tribunal de apelações, o snack bar, que atende a 900 funcionários e centenas de magistrados, advogados e público que assiste às audiências, fechou há alguns meses por problemas de gerenciamento.

Mas a comuna de Turim, proprietária das instalações, assinou um protocolo propondo uma concessão de seis anos para um órgão que lida com a reintegração dos detentos.

"Isso faz parte dos esforços para humanizar a detenção, uma vez que ter um emprego durante o dia, estar em contato com a clientela, ajuda na reinserção no final da sentença", declarou à AFP Michele Chicco, porta-voz da comuna, sem pronunciar-se sobre a eventualidade de um prisioneiro ter que servir um sanduíche ao juiz que o condenou.

Este esforço será dirigido para outros aspectos, enquanto 60 m2 das vastas instalações serão reservados para projetos culturais e exposições sobre os direitos dos detentos e a humanização das sentenças.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP