Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) Renat Bakiev

(afp_tickers)

As autoridades turcas detiveram um russo, suposto membro do grupo extremista Estado Islâmico (EI), que preparava um atentado com um drone contra uma base militar americana no sul da Turquia, informaram nesta quinta-feira meios de comunicação locais.

Renat Bakiev tentou conseguir um drone para atacar a base militar de Incirlik, no sul da Turquia, ou um avião estacionado lá, explicou a agência pró-governo Anadolu, citando um comunicado das autoridades.

A agência privada Dogan afirmou que ele planejou "derrubar um avião americano com a ajuda de um drone".

Segundo a Anadolu, o suspeito, detido em Adana, pediu ao EI - pelo aplicativo de mensagens criptografada Telegram -que lhe dessem 2.800 libras turcas (pouco menos de 800 dólares) para realizar esta operação.

A base de Incirlik, situada não muito distante da fronteira da Turquia com a Síria, é usada pela coalizão internacional comandada por Washington para as suas operações contra o EI.

A embaixada da Rússia em Ancara afirmou em comunicado que estava fazendo "o necessário para entender o ocorrido e esclarecer a situação".

De acordo com a Anadolu, Bakiev, que admitiu ser membro do EI, já tentou - sem sucesso - cometer um atentado contra as forças americanas quando viajou à Síria para combater nas fileiras dos extremistas.

Além disso, planejou atacar a comunidade alevi, uma minoria muçulmana progressista, acrescentou a Anadolu.

A Turquia se viu atingida há dois anos por inúmeros atentados atribuídos ou reivindicados pelo EI. O último, ocorrido no Ano Novo, deixou 39 mortos em uma boate de Istambul.

Desde então, os extremistas não executaram nenhum ataque em solo turco, embora as autoridades costumem prender supostos terroristas regularmente.

AFP