Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Dez turistas estrangeiros e cinco indonésios desapareceram neste domingo após o naufrágio da embarcação em que estavam no leste do arquipélago da Indonésia, não muito longe da ilha de Bali

(afp_tickers)

Dez turistas estrangeiros e cinco indonésios desapareceram neste domingo após o naufrágio da embarcação em que estavam no leste do arquipélago da Indonésia, não muito longe da ilha de Bali, informou um funcionário dos serviços de emergência.

"Um barco de turismo com 25 pessoas a bordo afundou enquanto navegava entre as ilhas de Lombok e Komodo", declarou a fonte, acrescentando que dez outros estrangeiros haviam sido resgatados.

Os resgatados são da Espanha, Alemanha, França, Nova Zelândia, Reino Unido e Holanda. No momento, não há informações sobre as nacionalidades dos desaparecidos.

O acidente ocorreu perto de Bima, uma cidade da ilha de Sumbawa, disse.

Um outro funcionário em Bima, Suryaman, disse à AFP que o acidente ocorreu nas primeiras horas de sábado e que os turistas foram resgatados ao longo do dia.

"O incidente ocorreu (...) quando a embarcação atingiu uma rocha e afundou. Pescadores conseguiram resgatar cinco pessoas durante a noite e outros cinco estrangeiros foram resgatados por um veleiro", declarou à AFP.

Outro funcionário da agência nacional de investigação e resgate afirmou que os cinco indonésios eram os quatro membros da tripulação e um guia turístico.

Um porta-voz da embaixada britânica em Jacarta indicou ter sido informado sobre um incidente "perto de Biman durante o dia e que cidadãos britânicos podem estar entre as vítimas". "Estamos em contato com as autoridades locais e prontos para prestar assistência consular".

Komodo é uma das muitas ilhas que formam o Parque Nacional de Komodo, uma área protegida onde o dragão de Komodo habita.

A Indonésia recorre frequentemente às embarcações para conectar as suas mais de 17.000 ilhas, mas a segurança marítima não é boa.

Dois barcos afundaram no mês passado, fazendo 36 mortos.

AFP