Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) A diretora-gerente do FMI, Christine Lagarde

(afp_tickers)

A diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde, declarou que é preciso "mais abertura" econômica para lutar contra o populismo, em entrevista ao jornal francês Les Echos que será publicada nesta sexta-feira em sua edição impressa.

Nesta entrevista, Lagarde se disse "profundamente preocupada pela evolução política do mundo, que pode provocar graves consequências econômicas".

Diante do populismo, o FMI afirma que "a resposta passa por mais abertura, especialmente nos serviços, o que permitirá ganhos de produtividade".

Para a diretora-gerente do FMI, "o essencial é que a globalização deve evoluir de uma forma diferente, com um maior respeito às regras do jogo, assim como ao meio ambiente e uma preocupação deliberada de inclusão dos povos".

"Em muitos aspectos, Donald Trump tem razão", assegura Christine Lagarde na entrevista ao Les Echos.

"A livre concorrência deve ser justa, em todos os âmbitos, e celebro que as autoridades chinesas tenham anunciado recentemente sua vontade de abordar todos os temas", explica Lagarde.

Donald Trump "tem argumentos sólidos" em seu discurso contra Pequim. "Se seu método for apoiado por uma estratégia de benefício mútuo, poderá fazer avançar as discussões. Mas isso não será fácil", avaliou.

Christine Lagarde reconhece que no mundo, "pela primeira vez em 2017, o número de regimes democráticos diminuiu rapidamente".

"As eleições recentes mostraram o auge dos populismos e um desejo por regimes autoritários, tanto de direita como de esquerda, o que é realmente preocupante".

Neuer Inhalt

Horizontal Line


swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.










AFP