Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

A Match Hospitality informou o cancelamento de todos os ingressos comprados pela Atlanta Sportif, a empresa dirigida pelo franco-argelino Mohamadou Lamine Fofana, detido na semana passada no Rio de Janeiro e apontado como suposto líder da rede de cambistas.

(afp_tickers)

A Match Services, empresa associada à Fifa que vendeu entradas e pacotes para a Copa do Mundo do Brasil, afirmou nesta quarta-feira que a polícia do Rio de Janeiro deteve um de seus diretores de forma ilegal.

A empresa sediada em Zurique denunciou que a prisão de seu diretor Ray Whelan, um britânico de 64 anos, detido por agentes da civil no hotel Copacabana Palace, foi "arbitrária e ilegal".

Whelan foi solto na madrugada de terça-feira, após ser denunciado por facilitar a distribuição de ingressos para os jogos da Copa para a venda ilegal.

A Match Services informou que Whelan entregaria de forma voluntária sua credencial para a Copa do Mundo, mas reafirmou que seu diretor não cometeu qualquer crime.

A empresa reconheceu que Whelan conversou por telefone com o argelino Mohamadou Lamine Fofana, uma das onze pessoas detidas na semana passada, quando foi desmantelada uma rede internacional de venda ilegal de ingressos.

Segundo a Match Services, não houve "nada impróprio ou criminoso" nas conversas entre Whelan e Fofana sobre a venda de 24 pacotes para a Copa, ao preço correto, que foi "arredondado" de 24.750 dólares para 25.000 dólares cada um.

Juntos, os 24 pacotes valiam 594.000 dólares.

A Match Services admitiu que acertar o negócio para pagamento em dinheiro vivo é algo "altamente incomum", mas destacou que a transação não foi concluída.

AFP