Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Carmen Ramirez segura a foto de Carmelo Quiles, morto recentemente de doença do Legionário, em Nova York

(afp_tickers)

A doença do Legionário já matou 12 pessoas em Nova York, informou nesta segunda-feira o prefeito da cidade, Bill de Blasio, destacando que a epidemia "continua recuando".

O prefeito revelou que esta forma de pneumonia já afetou 113 pessoas na cidade, incluindo 76 que receberam alta, e que há uma semana não se registra qualquer novo caso no bairro do Bronx, onde a doença surgiu no dia 10 de julho.

Di Blasio disse que a suposta origem da doença são as torres de climatização de alguns prédios.

Segundo o prefeito, em 13 das 39 torres de climatização do Bronx foi encontrada a bactéria legionella pneumophyla.

As torres estão sendo desinfectadas e o trabalho deve terminar nesta segunda-feira, disse Di Blasio, anunciando uma série de medidas para controlar seu funcionamento e reduzir o risco de infecção.

A enfermidade leva o nome de doença do legionário em razão da primeira epidemia conhecida, em 1976, em um hotel de Filadélfia, onde havia uma conferência da Legião Americana. Mais de 220 participantes ficaram doentes e 34 morreram.

A infecção se dá pela inalação de pequenas gotículas de água contaminada.

A incubação da doença dura entre 2 e 10 dias com sintomas de febre e tosse.

AFP