Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

A maioria dos novos casos - 1,6 milhão em 2016 - incluíam clamídia, infecção bacteriana que afeta homens e mulheres

(afp_tickers)

As doenças sexualmente transmissíveis (DSTs) atingiram um nível recorde no ano passado nos Estados Unidos, quando foram registrados mais de dois milhões de casos de clamídia, gonorreia e sífilis no país, informaram as autoridades nesta terça-feira.

Este é "o número mais alto já" registrado, assegurou o relatório anual que analisa o comportamento das DSTs e revelado pelos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC, em inglês).

A maioria dos novos casos - 1,6 milhão em 2016 - incluíam clamídia, infecção bacteriana que afeta homens e mulheres.

A gonorreia também aumentou entre homens e mulheres no ano passado, mas o maior aumento se deu entre os homens (22%), segundo relatório.

Em todo o país os casos de gonorreia chegaram a 470.000, com boa parte dos novos registros desta doença em homens que têm relações sexuais com outros homens.

Os casos de sífilis ficaram em 28.000, com um aumento de quase 18% de 2015 para 2016. A maioria também foi registrada em homens que tiveram relações sexuais com outros homens.

Houve mais de 600 casos de sífilis em recém-nascidos, um aumento de 28%, que levaram a "mais de 40 mortes e complicações severas da saúde" destes bebês.

De acordo com os especialistas, estas três doenças podem ser tratadas com antibióticos, apesar das crescentes preocupações sobre a resistência a esses medicamentos.

Mas se não forem tratadas, podem levar à infertilidade, gravidez ectópica e a um risco elevado de transmissão de HIV.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP