AFP

Ativistas da oposição são derrubados por jatos d'água da Guarda Nacional, durante protesto contra o presidente Nicolás Maduro, em 10 de maio de 2017, em Caracas

(afp_tickers)

Dois jovens de 20 anos morreram nesta quinta-feira em protestos contra o governo de Nicolás Maduro em dois estados da Venezuela, elevando a 72 os mortos em dois meses e meio de manifestações.

A procuradoria confirmou que investiga a morte do jovem José Pérez, que "se encontrava em uma manifestação" estudantil na localidade de Rubio, no estado de Táchira (oeste), quando "levou um tiro no rosto".

"Os estudantes foram atacados por uns coletivos (grupos afins ao governo, que a oposição acusa de estarem armados) que disparam sem medir as circunstâncias, efetuando aproximadamente 40 tiros por parte de motorizados", denunciou Walter Chacón, presidente da câmara de vereadores de Rubio.

O Ministério Público também investiga a morte de Luis Vera na cidade de Maracaibo, estado de Zulia (noroeste), que "estava em uma manifestação quando foi atropelado" por Darwin Rubio, de 37 anos, que será apresentado perante um tribunal.

Os protestos contra Maduro começaram em 1º de abril para exigir a saída antecipada do presidente com eleições-gerais.

As manifestações, que também refutam a Assembleia Constituinte, impulsionada por Maduro para reformar a Carta Magna, costumam degenerar em confrontos e distúrbios que também deixam mais de mil feridos, segundo a Procuradoria, e mais de 3.000 detidos, segundo a ONG Foro Penal.

AFP

 AFP