Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Mais de 2 mil rohingyas estão concentrados na costa de Mianmar após fugirem de seus povoados, no estado de Rakhine

(afp_tickers)

Mais de dois mil rohingyas estão concentrados na costa de Mianmar após fugirem de seus povoados, no estado de Rakhine (oeste), nesta semana, tentando chegar ao vizinho Bangladesh - relatou neste sábado (30) um jornal birmanês pró-governo.

Esses refugiados se somam ao meio milhão de pessoas que deixaram a região, alvo de uma violenta repressão por parte do Exército birmanês. A ONU classificou essa ofensiva militar como "limpeza étnica".

Em Bangladesh, onde os refugiados da minoria muçulmana estão concentrados em acampamentos, autoridades e ONGs declararam a superlotação, diante da chegada maciça de pessoas.

Na sexta (29), a Polícia bengali anunciou ter impedido 20 mil rohingyas de cruzarem a fronteira com Mianmar.

Entre os dois mil que chegaram esta semana à costa birmanesa, a maior parte se concentrou em uma praia perto da aldeia de Lay Yin Kwin, segundo o jornal oficial do país "Global New Light of Myanmar", que publicou fotos de mulheres e crianças na areia, vigiadas por agentes de segurança.

Os rohingyas "começaram a sair de sua região na terça-feira, explicando que não se sentiam seguros porque viviam em uma área muito pouco povoada e que a maioria de seus familiares tinha ido para Bangladesh", completou o veículo.

Após fugir de suas aldeias, segundo eles incendiadas pelo Exército e por milicianos budistas, os rohingyas cruzaram o rio Naf - na fronteira entre Mianmar e Bangladesh - em pequenos barcos lotados.

Os rebeldes rohingyas e as Forças Armadas birmanesas se acusam mutuamente de cometer atrocidades, de incendiar aldeias e de assassinar civis desde que o Exército começou, no fim de agosto, uma campanha violenta de repressão, por causa de uma série de ataques rohingyas contra delegacias de Polícia.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP