Navigation

Dois satélites antigos quase batem enquanto passavam sobre os EUA

O telescópio espacial infravermelho de satélites astronômicos (IRAS) foi lançado em 1983 como um projeto conjunto da NASA, Grã-Bretanha e Holanda, e sua missão durou apenas 10 meses afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 30. janeiro 2020 - 12:58
(AFP)

Dois satélites fora de serviço quase colidiram no espaço nesta quarta-feira (29) enquanto passavam sobre os Estados Unidos a uma velocidade combinada de 53.000 quilômetros por hora.

Os satélites, um telescópio espacial lançado em 1983 e um satélite experimental americano de 1967, viajam em órbitas opostas e se "cruzaram sem incidentes", disse à AFP um porta-voz do Comando Espacial dos Estados Unidos.

A passagem dos artefatos ocorreu às 23H39 GMT (20H39 de Brasília), cerca de 900 quilômetros acima da cidade americana de Pittsburgh, após especialistas anunciarem que havia um risco de impacto entre 1% e 5%, considerado alto na comunidade espacial.

Essas colisões entre satélites que ninguém controla são tão incomuns quanto perigosas porque geram milhares de fragmentos que podem destruir ou danificar satélites ativos.

Em 2009, quando o satélite de comunicação ativo Iridium 33 e o satélite militar russo desativado Cosmos 2251 colidiram, milhares de fragmentos de mais de 10 cm voaram poluindo as órbitas dos outros aparelhos.

O telescópio espacial IRAS era um projeto conjunto da Nasa, Reino Unido e Holanda e esteve em operação por 10 meses. Segundo um banco de dados da Agência Espacial Europeia (ESA), pesa uma tonelada.

Já o satélite experimental americano GGSE-4 foi lançado pela Força Aérea dos Estados Unidos e é leve (85 kg), mas tem uma forma incomum: é muito fino (60 cm), mas tem 18 metros de comprimento e se move verticalmente .

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.