Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

A marca de cosméticos Dove, propriedade da gigante holandesa Unilever, pediu desculpas após a difusão online de um anúncio que ganhou muitas acusações de racismo

(afp_tickers)

A marca de cosméticos Dove, propriedade da gigante holandesa Unilever, pediu desculpas após a difusão online de um anúncio que ganhou muitas acusações de racismo.

"Em uma imagem publicada esta semana, erramos ao representar as mulheres de cor, e lamentamos profundamente os danos causados", declarou a marca em uma mensagem publicada nas redes sociais Facebook e Twitter.

Na propaganda em questão, um anúncio de três segundos para um sabão líquido, uma mulher negra tira uma camiseta para revelar uma mulher branca, que remove sua camiseta e revela uma terceira mulher.

O vídeo, originalmente transmitido na página Facebook da Dove Estados Unidos e subsequentemente suprimido, foi amplamente denunciado pelos internautas em todo o mundo.

"A propaganda da Dove é racista, irresponsável, insensível, desconectada, desagradável e deve receber o preço da cebola podre", tuitou nesta segunda-feira @LebonaMoleli.

"Ser negro significa ser sujo e indesejável?", postou @Social_Heretic, pedindo um boicote aos produtos Dove e Unilever.

A hastag #BoycottDove era amplamente replicada na rede social na manhã desta segunda-feira.

Na Bolsa de Valores de Londres, às 07h30 GMT (4h30 de Brasília), o preço da ação da Unilever caia ligeiramente 0,39% em um mercado estável.

Em 2013, uma marca de cosméticos da gigante Unilever teve que se desculpar após a polêmica criada por um concurso na Tailândia em torno de um produto para clareamento da pele.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP