Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O drone de fabricação iraniana Shaheed 129 foi abatido na madrugada de terça-feira por um avião americano F-15 Strike Eagle

(afp_tickers)

A Rússia acusou, nesta quarta-feira, a coalizão internacional liderada pelos Estados Unidos de "cumplicidade com o terrorismo", depois de um avião americano abater um drone armado das forças pró-regime no sul da Síria, perto de Al-Tanaf.

"Na Síria, este tipo de ataque é comparável a cumplicidade com o terrorismo", declarou o vice-ministro russo de Assuntos Estrangeiros Sergueï Riabkov numa entrevista à agência de notícias Interfax.

O drone de fabricação iraniana Shaheed 129 foi abatido na madrugada de terça-feira por um avião americano F-15 Strike Eagle depois de ter "mostrado intenção hostil e se dirigido às forças de coalizão", segundo comunicado divulgado por esta.

O novo incidente entre a coalizão e as forças do regime de Damasco aconteceu apenas 48 horas depois da destruição, neste domingo, de um aparato do exército sírio por um caça americano na região da Raqa, no norte da Síria.

Os Estados Unidos já haviam abatido um drone das forças pró-regime há duas semanas, na região de Al-Tanaf, uma cidade fronteiriça no eixo estratégico de Damasco-Bagdá.

Nas últimas semanas, eles também bombardearam diversas vezes as forças pró-regime que se aproximavam de Al-Tanaf, onde as forças especiais americanas treinam grupos sírios locais que lutam contra os integrantes do Estado Islâmico.

Depois de o avião sírio ter sido abatido pelos Estados Unidos, a Rússia, aliada do regime de Damasco, anunciou a suspensão de seu canal de comunicação militar com os americanos sobre as operações na Síria.

Moscou ainda advertiu que vai apontar seus mísseis em direção aos aviões da coalizão internacional que sobrevoam a Síria a oeste do rio Eufrates.

AFP