Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

A presidente da Libéria, Ellen Johnson Sirleaf, em um encontro com trabalhadores da saúde em Monróvia, em 9 de agosto de 2014.

(afp_tickers)

A presidente da Libéria, Ellen Johnson Sirleaf, decretou na noite de terça-feira um toque de recolher noturno a partir de quarta-feira e quarentena em dois bairros, um deles na capital, para conter a epidemia de Ebola.

"A partir da quarta-feira, 20 de agosto, regerá o cessar-fogo das 21h00 às 06h00 da manhã (18h00 e 03h00 de Brasília)", anunciou Sirleaf em discurso de rádio e TV na noite desta terça.

Ela também determinou "o fechamento de todos os centros de lazer e videoclubes a partir de 18h00".

O chefe de Estado também anunciou a quarentena do bairro de West Point, no subúrbio de Monróvia, onde jovens atacaram um centro de isolamento, roubaram objetos potencialmente contaminados e provocaram a fuga de 17 doentes, recuperados depois, assim como no bairro de Kakata, ao sul da capital.

"Os bairros de West Point, em Monróvia, e de Dolo Town, em Margibi (condado que tem Kakata como capital), foram colocados em quarentena e sob vigilância de segurança", acrescentou.

Sirleaf, que decretou estado de urgência na Libéria em 6 de agosto, criticou o fato de, apesar dos esforços crescentes e da adoção de medidas cada vez mais rígidas, a progressão da epidemia não ter cedido no país, que tem o maior número de vítimas de Ebola.

"Mas nós não conseguimos conter a doença por causa da negação persistente, das práticas funerárias tradicionais e do desrespeito aos alertas dos funcionários de saúde e da vigilância do governo", acrescentou.

AFP