Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Autoridades sanitárias quenianas submetem passageiros a exame de temperatura em sua chegada ao aeroporto internacional Jommo Kenyatta em Nairóbi, Quênia

(afp_tickers)

As autoridades do Quênia anunciaram neste sábado a proibição de entrada em seu território, a partir de quarta-feira, de pessoas provenientes de Guiné, Libéria e Serra Leoa, principais países atingidos pela epidemia de febre hemorrágica Ebola.

A companhia aérea nacional, Kenya Airways, aproveitou a ocasião para anunciar a suspensão dos seus voos para esses países a partir de quarta-feira.

"Diante de temores de saúde pública, o governo do Quênia (...) decidiu suspender temporariamente a entrada no Quênia dos viajantes procedentes de ou que tiverem atravessado os três países africanos afetados pelo Ebola, isto é, Serra Leoa, Guiné e Libéria", declarou o ministro queniano da Saúde, James Macharia.

A medida entrará em vigor na quarta-feira à 00H00 (18H00 de terça-feira, horário de Brasília) e será aplicada em todos os pontos de entrada do país, acrescentou.

A decisão não afeta o pessoal sanitário envolvido na luta contra a epidemia, nem os quenianos procedentes destes países, embora eles vão ser submetidos a "um exame exaustivo (...) e, se for necessário, serão postos em quarentena", explicou Macharia.

Os viajantes procedentes de Nigéria ou Gana, onde foram registrados menos casos de infecção pelo vírus Ebola, poderão entrar no país, acrescentou.

A Kenya Airways suspenderá seus voos para a Libéria e Serra Leoa também a partir da meia-noite de quarta-feira (18H00 de terça) "com base na avaliação do risco, feita pelo ministério queniano da Saúde", informou a companhia em um comunicado.

O diretor dos serviços médicos do ministério da Saúde, Nicholas Muraguri, destacou, por sua vez, que não foi detectado nenhum caso de Ebola no país. Os quatro casos suspeitos deram negativo, explicou.

AFP