Navigation

Eclipse solar com 'anel de fogo' é observado na Ásia

Eclipse "anel de fogo" observado na cidade indiana de Dindigul afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 26. dezembro 2019 - 09:48
(AFP)

Da Arábia Saudita até Omã, passando pela Índia e o Sudeste Asiático, milhões de pessoas observaram nesta quinta-feira um eclipse incomum do tipo "anel de fogo".

Um eclipse solar anular destas características acontece quando a Lua não está suficientemente próxima da Terra para cobrir completamente o Sol, o que cria o efeito de um "anel de fogo".

Estes eclipses acontecem a cada um ou dois anos e só podem ser observados em áreas específicas do planeta.

O fenômeno desta quinta-feira foi observado, quando as condições meteorológicas permitiram, no Oriente Médio, no sul da Índia e no sudeste asiático, até o norte do Pacífico.

Centenas de amantes da astronomia e fotógrafos se reuniram no porto de Singapura para o acontecimento.

Jason Teng, 37 anos, tirou o dia de folga para fotografar o eclipse. O aprendiz de astrônomo utilizou um filtro solar especial para seu telescópio.

Alexander Alin, um geofísico de 45 anos que mora na Alemanha, viaja por todo o mundo seguindo os eclipses.

"Este dura apenas dois minutos, mas é tão intenso que você fala sobre isto com sua família e amigos durante vários meses", destaca.

No sul da Índia, os moradores observaram o "anel de fogo" nas praias do estado de Tamil Nadu.

Mas em Nova Délhi, as nuvens e a poluição dificultaram a visibilidade.

Fora da estreita faixa de terra em que foi possível observar o "anel de fogo", as pessoas acompanharam um eclipse parcial.

O próximo eclipse do Sol acontecerá em junho de 2020 e será observado em uma área que vai da África até o norte da Ásia.

E em junho de 2021 o fenômeno será visto no Ártico, algumas áreas do Canadá, da Groenlândia e do extremo oriente russo.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.