Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Julho) Eman participa de entrevista coletiva em Abu Dhabi

(afp_tickers)

Uma egípcia que chegou a ser considerada a mulher mais gorda do mundo após pesar mais de 500kg morreu na manhã desta segunda-feira (25), de complicações cardíacas e insuficiência renal - anunciou o hospital de Abu Dhabi onde ela estava internada.

Eman Ahmed Abd El Aty era atendida por uma equipe de 20 médicos desde sua chegada aos Emirados Árabes Unidos em maio, procedente da Índia, indicou o Burjeel Hospital, em um comunicado.

A paciente pesava meia tonelada quando chegou a Mumbai, em fevereiro passado. Ela sofria de elefantíase, uma patologia que provoca o inchaço dos membros e de outras partes do corpo.

Desde então confinada a uma cama, Eman passou por uma cirurgia. Com a operação e a um regime alimentar líquido, perdeu 323 quilos.

A história dessa mulher de Alexandria que não saía mais de casa, há 25 anos, deu a volta ao mundo. Um cirurgião indiano se ofereceu, então, para operá-la.

Eman Ahmed Abd El Aty sofria de diabetes, hipertensão e insônia.

As operações para redução de peso são cada vez mais frequentes na Índia, onde a obesidade avança, sobretudo, nas áreas urbanas.

Agora a americana Pauline Potter é considerada a mulher mais gorda do mundo. Em julho, pesava 293 quilos.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP