Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Reprodução da TV) Hosni Mubarak assiste a seu julgamento, na Academia de Polícia do Cairo

(afp_tickers)

O veredicto do julgamento do ex-presidente egípcio Hosni Mubarak por "cumplicidade" no assassinato de manifestantes durante a revolta de 2011 será anunciado em 27 de setembro, informou um tribunal do Cairo.

Em um primeiro julgamento pela mesma acusação, Mubarak foi condenado à prisão perpétua, mas a sentença foi anulada por motivos técnicos e o processo reiniciado.

Mubarak, que deixou o poder após uma revolta em fevereiro de 2011, foi condenado em maio a três anos de prisão por corrupção.

Segundo um balanço oficial, 846 pessoas morreram e milhares ficaram feridas durante a revolta que derrubou Mubarak do poder.

O ex-presidente, de 86 anos, é julgado ao lado do ex-ministro do Interior Habib al-Adly e de seis ex-dirigentes das forças de segurança.

Durante uma audiência nesta quarta-feira consagrada à defesa, Mubarak tomou a palavra para falar sobre seus 30 anos como chefe de Estado e afirmou que "nunca ordenou o assassinato de manifestantes ou o derramamento de sangue de egípcios".

"Talvez seja o meu último discurso", disse Mubarak, sentado em uma cadeira de rodas e com a roupa azul dos réus.

"Agora que minha vida chega ao fim, agradeço a Deus por minha consciência tranquila e estou satisfeito de ter passado (minha vida) defendendo o Egito".

Por problemas de saúde, Mubarak está detido em um hospital militar do Cairo.

Seus dois filhos, Alaa e Gamal, estavam a seu lado no tribunal. Eles são julgados em outro processo, por corrupção, que também terá a sentença pronunciada em 27 de setembro.

AFP