Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Caminhões transportam combustível do Egito até a Faixa de Gaza

(afp_tickers)

O Egito iniciou nesta quarta-feira a entrega de 1 milhão de litros de combustível para ajudar os 2 milhões de moradores de Gaza, que dispõem apenas de duas horas de energia elétrica por dia.

O combustível egípcio "será transportado por 22 caminhões pelo terminal de Rafah", a única fronteira de Gaza que não está sob controle de Israel, informou à AFP Wael Abu Omar, dirigente palestino.

A carga será levada diretamente à única central elétrica do território palestino, que está paralisada há dois meses por falta de combustível.

"Em 24 horas, a central elétrica voltará a funcionar", anunciaram as autoridades de Gaza.

Desde que Israel reduziu o fornecimento de energia elétrica a Gaza na segunda-feira, a ONU e as agências humanitárias alertaram para um "colapso total" do território, que sofre um rígido bloqueio israelense há uma década.

Em Gaza, um território devastado pelas guerras e a pobreza, o fornecimento de energia elétrica é uma preocupação primordial, sobretudo durante o Ramadã e o verão.

Em três dias, Israel reduziu em quase 30 megawatts (MW) o abastecimento das linhas elétricas que alimentam a Faixa de Gaza.

Israel alega que tomou a decisão porque a Autoridade Palestina do presidente Mahmud Abbas se negava a pagar a conta da energia elétrica de Gaza, governada por seu rival islamita, o grupo Hamas.

A fatura mensal é de 11,3 milhões de euros por 120 MW, distribuídos em 10 linhas israelenses, ou seja, 25% das necessidades da Faixa de Gaza, avaliadas e m algo entre 450 e 500 MW.

Em um período normal, a única central elétrica do território fornece 65 MW e as linhas egípcias outros 23 MW.

AFP