Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O grupo Estado Islâmico (EI) reivindicou em um comunicado a autoria do atentado suicida desta segunda-feira contra uma delegacia de Damasco, que matou 17 pessoas, em sua maioria integrantes das forças de segurança

(afp_tickers)

O grupo Estado Islâmico (EI) reivindicou em um comunicado a autoria do atentado suicida desta segunda-feira contra uma delegacia de Damasco, que matou 17 pessoas, em sua maioria integrantes das forças de segurança.

"Três soldados do califado equipados com armas automáticas e granadas" executaram o ataque a uma delegacia situada em Al-Midan, um bairro comercial do sul da capital síria, afirma o texto.

O EI, responsável por muitas atrocidades no Iraque e na Síria e por atentados em vários países, afirma que seus membros conseguiram "passar" pelos postos de controle instalados nos arredores de Damasco.

Também afirma que os membros do EI conseguiram entrar na delegacia e enfrentar os policiais antes de detonar "os coletes de explosivos".

Um terceiro agressor cometeu um atentado suicida no lado de fora da delegacia, afirma o grupo.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP