Navigation

El Salvador precisa criar oportunidades para evitar migração, diz presidente

O novo presidente de El Salvador, Nayib Bukele afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 27. junho 2019 - 22:24
(AFP)

O presidente de El Salvador, Nayib Bukele, garantiu nesta quinta-feira que o país deve gerar oportunidades de educação e emprego para conter a onda de emigrantes que se destinam regularmente aos EUA.

Em coletiva de imprensa, Bukele disse que se El Salvador não conseguir oferecer a seus cidadãos "emprego digno" e "acesso à educação", o êxodo continuará.

O mandatário classificou a emigração como "uma tragédia humana", pouco após o caso do salvadorenho que morreu afogado com sua pequena filha no domingo, quando tentavam cruzar o rio Bravo a nado para chegar aos Estados Unidos.

Bukele afirmou que os salvadorenhos que decidirem ir embora sem documentação regular para os Estados Unidos têm "menos medo" de sofrer um acidente, ou serem sequestrados no caminho, que de ficar em El Salvador.

"Eu compartilho da mesma preocupação que o presidente Trump, mas com uma razão diferente. Nenhum dos dois queremos emigração. Ele não quer que vão para seu país, e a diferença é que nós não queremos que vão, queremos eles aqui, em sua casa, que progridam aqui, e esse é nosso grande desafio", afirmou Bukele.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.