Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Uma assistente social conversa com uma família de El Salvador após seu retorno ao país com outros deportados dos Estados Unidos, no aeroporto Comalapa, em San Salvador.

(afp_tickers)

Catorze crianças acompanhadas de suas mães chegaram nesta segunda-feira a El Salvador deportadas dos Estados Unidos, após a suspensão de seus processos migratórios neste país, informaram fontes oficiais em San Salvador.

"Estamos recebendo catorze mães acompanhando seus filhos e filhas, onze meninos e três meninas de idades entre um e 15 anos", declarou o diretor geral de migração, Héctor Rodríguez.

As crianças chegaram ao aeroporto internacional Óscar Arnulfo Romero, 44 km ao sudeste de San Salvador, onde foram recebidos pelos funcionários de migração, assistentes sociais e outros profissionais do governo.

"Elas (as mães com seus filhos) decidiram retornar ao país. Estavam com um processo e desistiram", explicou Rodríguez.

Depois de terem registrado legalmente seu ingresso no país e sem falar com a imprensa, mães e filhos deixaram o terminal aéreo para se dirigir a suas cidades.

No dia 20 de julho, as autoridades de El Salvador receberam as quatro primeiras crianças acompanhadas de suas mães, mas acredita-se que há cerca de 450 casos de menores salvadorenhos em processo de repatriação nos Estados Unidos.

A vice-chanceler para os salvadorenhos no exterior, Liduvina Magarín, declarou que as famílias retornadas estavam em centros de detenção onde receberam "todo o apoio consular".

"É uma decisão de cada compatriota continuar seu processo ou regressar (a El Salvador) e isso é o que tem sido cumprido. Estas famílias tomaram sua decisão e estão aqui", destacou Magarín.

Para a vice-ministra, os centros de detenção nos Estados Unidos não são um ambiente "adequado" para as mães com seus filhos e, em razão de problemas de saúde das crianças, decidiram voltar.

Desde que teve início a crise da migração de crianças desacompanhadas, em junho, as autoridades salvadorenhas deslocaram funcionários para a fronteira sul dos Estados Unidos para fornecer assistência consular.

"O fluxo de meninas e meninos que chegam à fronteira sul dos Estados Unidos", reconheceu a vice-chanceler.

Desde outubro, mais de 57.000 crianças centro-americanas chegaram ilegalmente aos Estados Unidos sem companhia de adultos. Desse total, 43.933 menores são de El Salvador, Honduras e Guatemala.

AFP