Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Geral da Organização de Estados Americanos (OEA) durante fórum sobre ondas irregulares de migração nas Américas em 12 de setembro, em San José, Costa Rica

(afp_tickers)

A Organização dos Estados Americanos (OEA) denunciou muitas irregularidades nas eleições regionais celebradas recentemente na Venezuela, que, aponta, tornam ilegítimos seus resultados, e condenou a falta de observação internacional independente.

"As eleições para governadores, celebradas no último 15 de outubro na Venezuela precisarão - é público e notório - de inúmeras garantias para que seus resultados possam ser considerados legítimos", concluiu a OEA em um comunicado especial publicado em sua página na internet.

O documento de onze páginas ressalta entre as críticas ao processo eleitoral o menosprezo à competitividade dos partidos políticos e candidatos, a manipulação do programa eleitoral e a violação "sistemática" de preceitos constitucionais e a alteração de etapas e lapsos previstos na Lei Orgânica de Processos Eleitorais.

Segundo o informe, toda essa situação põe em pauta "a importância da observação eleitoral internacional imparcial".

O documento, intitulado "Venezuela e o 15-0: a diferença entre ter ou não a observação eleitoral independente" e foi divulgado primeiramente na terça-feira via Twitter pelo secretário-geral da OEA, Luis Almagro, que critica abertamente o governo venezuelano de Nicolás Maduro.

A situação venceu as eleições de 15 de outubro, ao eleger governadores em 18 espaços de participação governamentais frente a cinco da coalizão opositora Mesa da Unidade Democrática (MUD).

Analistas e especialistas eleitorais afirmam que a abstenção, que representou a perda de quase três milhões de votos opositores se comparado com as legislativas de 2015, foi uma das causas da derrota da MUD.

A oposição também denunciou irregularidades, como a mudança de última hora de locais de votação e militantes seus agredidos, o que, verificam, como sendo elementos que os colocaram em desvantagem.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP