Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Novo relatório da Boeing estima em 637 mil demanda por novos pilotos nos próximos 20 anos

(afp_tickers)

As companhias aéreas vão precisar de 637 mil novos pilotos nos próximos 20 anos para atender ao ritmo de crescimento do tráfego aéreo mundial - informou a empresa Boeing em um relatório anual divulgado nesta terça-feira (25).

Esse número representa um aumento de 3,6% em relação ao informe do ano passado.

Somente com as companhias da região da Ásia-Pacífico a demanda chegará a 253 mil pilotos, um terço do total global, aponta esse informe preparado pela divisão de serviços globais da empresa americana.

Na América do Norte, esse número chega a 117 mil novos pilotos e, para a Europa, 106 mil entre 2017 e 2036.

Já a necessidade de mais pessoal técnico para a manutenção das aeronaves caiu 4,6% em relação ao ano passado, a 648 mil. Um dos motivos é a redução nas horas de manutenção exigidas pelo Boeing 737 MAX.

Em relação ao pessoal de cabine, a Boeing considerou que serão necessários 839 mil novos profissionais até 2036, incluindo 308 mil na Ásia-Pacífico, 173 mil na Europa, 154 mil na América do Norte e 96 mil no Oriente Médio.

Um estudo publicado no mês passado pela CAE, empresa especializada no treinamento para a Aviação Civil, calculou que as companhias aéreas devem ter uma demanda de 255 mil novos pilotos para a próxima década.

Muitos especialistas têm advertido para a ameaça de escassez de pilotos nas empresas do setor.

AFP