AFP

Flores e mensagens às vítimas foram colocadas na St Ann' Square de Manchester após o ataque que matou 22 pessoas no show de Ariana Grande

(afp_tickers)

O show beneficente em Manchester começou neste domingo com um minuto de silêncio, em homenagem às vítimas do atentado realizado ao final da apresentação de Ariana Grande há duas semanas, e apenas 24 horas depois de um novo ataque que deixou sete mortos em Londres.

O público, segurando cartazes onde se podia ler "Para nossos anjos", fez um minuto de silêncio antes de que Marcus Mumford, líder do grupo Mumford & Sons, iniciasse o espetáculo.

O show, intitulado "One love Manchester", é realizado no estádio de críquete de Old Trafford, quase duas semanas após o atentado ao final da apresentação da cantora americana Ariana Grande no Manchester Arena, que deixou 22 mortos, incluindo várias crianças, e 116 feridos.

O evento contou com a participação de vários artistas do pop, como Justin Bieber, Katy Perry, Coldplay, Robbie Williams, Pharrell Williams, Miley Cyrus, Take That, Usher, the Black Eyed Peas, Little Mix e Niall Horan, do One Direction.

Ariana Grande, que fechou o show com "Over The Rainbow", foi bastante aplaudida, sobretudo quando interpretou grupo Coldplay o sucesso de Oasis transformado em hino à resistência "Don't Look Back in Anger".

Em um dos momentos mais emocionantes da noite, a cantora americana, que fez duetos com outros artistas, dividiu o palco com um coral de 24 alunos de uma escola de Manchester (alguns deles estavam no show de 22 de maio) e interpretaram juntos seu sucesso "My Everything".

"Gostaria de agradecer a vocês por serem tão fuertes, por estarem tão unidos, por serem tão carinhosos. Amo muito vocês", disse Ariana Grande ao público.

Após o atentato de sábado na capital britânica, onde sete pessoas morreram atropeladas por uma van e esfaqueadas, o agente de Grande, Scooter Braun, disse que o show beneficente seria mantido, "com ainda mais motivos".

"Rezando por Londres", tuitou a cantora de 23 anos. "Não devemos ter medo e devemos prestar uma homenagem aos afetados, aqui e no mundo todo, juntaremos nossas vozes e cantaremos com força", afirmou.

Os lucros do evento serão doados para as famílias das vítimas.

As 35.000 entradas que foram colocadas à venda na quinta-feira por 40 libras ($51 dólares) foram vendidas em poucos minutos. Também havia 14.200 entradas grátis reservadas aos que estiveram no show de 22 de maio.

As autoridades esperam a presença de até 130.000 pessoas neste domingo na zona do show e tomaram medidas adicionais de segurança.

"Aumentamos nossos recursos, com um número importante de agentes da polícia da região de Manchester e colegas de outras forças, alguns dos quais irão armados", disse o superintendente Stuart Ellison.

O show é transmitido ao vivo pelo Twitter, Apple e YouTube, e também pela BBC e pela MTV.

AFP

 AFP