Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) O premier de Israel, Benjamin Netanyahu

(afp_tickers)

Pela primeira vez, a embaixada da Rússia em Israel celebrará, nesta quinta-feira (14), a festa nacional em Jerusalém, em vez de Tel Aviv - informou um porta-voz, em um contexto de tensão sobre o estatuto diplomático da Cidade Santa.

A celebração, com a presença anunciada do primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, alinha-se com o reconhecimento por parte de Moscou de Jerusalém Ocidental como capital de Israel, afirmou o porta-voz da embaixada, Dmitri Alushkin.

Este reconhecimento é distinto do que, em 6 de dezembro, anunciou os Estados Unidos, rompendo com décadas de consenso internacional.

Nessa data, o presidente Donald Trump anunciou o reconhecimento, por parte dos EUA, de Jerusalém como capital de Israel, sem distinguir entre o Oriente, majoritariamente judeu, e o Ocidente, majoritariamente palestino.

A decisão americana alegrou os israelenses, mas causou grande reprovação internacional e indignou os palestinos, que reivindicam Jerusalém Oriental como capital do estado a que aspiram fundar.

Em 2017, o Ministério russo das Relações Exteriores informou que a Federação Russa considerava "Jerusalém Ocidental como a capital de Israel". Ao mesmo tempo, lembrou que Moscou apoia os "princípios aprovados pela ONU para um acordo entre israelenses e palestinos, que inclui o status de Jerusalém Oriental como capital do futuro Estado palestino".

Israel, que se apoderou de Jerusalém Oriental em 1967 e o anexou, considera toda cidade como sua capital "eterna" e "indivisível".

A embaixada russa fica em Tel Aviv, e era nessa cidade que os russos celebravam, até agora, a festa nacional que marca a fundação da Federação Russa. Este ano, porém, a Rússia decidiu organizar suas celebrações em Jerusalém Ocidental, na Missão São Sérgio, propriedade de Moscou no bairro russo da cidade.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.










AFP