Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

A Coreia do Norte lançou nesta terça um míssil balístico que sobrevoou o território japonês, antes de cair no Oceano Pacífico

(afp_tickers)

O embaixador da Coreia do Norte na ONU afirmou nesta terça-feira que seu país tem o "direito à autodefesa" ante as "intenções hostis" dos Estados Unidos, horas depois do lançamento de um míssil que sobrevoou o Japão.

"Os exercícios militares conjuntos americano-sul-coreanos atualmente em curso, em plena tensão na península coreana e apesar das firmes advertências da República Popular Democrática da Coreia (RPDC), são apenas um ato fanático que joga lenha na fogueira", declarou Han Tae-song, embaixador norte-coreano na Conferência de Desarmamento da ONU em Genebra.

Pyongyang já havia criticado duramente as manobras organizadas todos os anos por Seul e Washington perto da Coreia do Norte, que as encara como uma invasão de seu território.

"Agora que os Estados Unidos declararam abertamente suas intenções hostis a respeito da RPDC participando nestas manobras, meu país tem todas as razões para responder com medidas firmes exercendo seu direito de autodefesa", afirmou o embaixador.

"Os Estados Unidos serão os responsáveis pelas consequências catastróficas que se desencadearão", acrescentou.

A Coreia do Norte lançou nesta terça um míssil balístico que sobrevoou o território japonês, antes de cair no Oceano Pacífico.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP