Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Mohamed Al-Ahbabi, diretor-geral da Agência Espacial dos Emirados Árabes Unidos, em Abu Dhabi, no dia 25 de maio de 2015

(afp_tickers)

Os Emirados Árabes Unidos, que visam lançar a primeira sonda robótica árabe rumo a Marte até 2021, revelaram nesta segunda-feira os detalhes do plano estratégico de sua Agência Espacial.

Esta agência, que visa promover a pesquisa e a formação, prevê a criação no prazo de cinco anos do primeiro centro de pesquisa espacial no Oriente Médio, com um orçamento de 27,2 milhões dólares - afirmou Mohamed Al-Ahbabi, diretor geral do organismo.

Ela irá canalizar o projeto da sonda "Esperança", que realizará estudos sobre o clima do Planeta Vermelho "que permitirão aos cientistas construir o primeiro modelo verdadeiramente holístico da atmosfera de Marte", disse a agência.

"O projeto não é apenas (importante) para os Emirados (...). Ele também irá servir a humanidade", disse Al-Ahbabi.

Para as autoridades, a corrida espacial oferece uma oportunidade para promover a ciência e o desenvolvimento de novas tecnologias nos Emirados Árabes Unidos que, de acordo com o jornal The National, de Abu Dhabi, vai precisar de cerca de 150 cientistas para garantir a missão rumo a Marte.

"O futuro passa pela educação", garantiu Al-Ahbabi, indicando que um primeiro grupo de 20 estudantes deve ser enviado em missão científica para outros países.

"Nós mantemos a ideia de nos tornarmos uma plataforma espacial", confirmou o chefe da Agência.

O governo dos Emirados anunciou em novembro de 2014 o projeto de enviar uma sonda a Marte até 2021. Em julho, o país afirmou que os investimentos locais em tecnologia aeroespacial chegariam a 5,44 bilhões de dólares.

"O setor já é o mais importante da região em termos de investimentos diretos", ressaltou Al-Ahbabi, cujo país deve lançar em 2017 um terceiro satélite que deve cobrir a América do Sul.

Primeira signatária de um acordo de cooperação com os Emirados Árabes Unidos, a França espera se tornar parceira estratégica da missão dos Emirados sobre o planeta vermelho, mas os candidatos são numerosos.

"Não decidimos ainda nem o local do lançamento da sonda, nem os parceiros. Ainda está muito cedo, ainda estamos discutindo", garantiu Al-Ahbabi.

Os Emirados Árabes Unidos, uma federação de sete emirados formada em 1971, se tornará, caso o projeto seja levado a cabo, o nono país do mundo a ter um programa sobre Marte - segundo as autoridades locais.

AFP